©2019 by Carmem farage. Proudly created with Wix.com

Nossa História

O Instituto Lumni nasceu em dezembro de 2012, com a intenção de ser uma egrégora que facilitasse o reencontro das energias harmônicas do corpo, da mente e do espírito de forma íntegra e plena.

Somos uma instituição não-religiosa, especializada na Terapia de Regressão de Memória Lumni – uma terapia holística de amplitude quântica, criada por Carmem Farage, cujos pilares são Regressão de Memória, Apometria Clínica e Psicanálise.

Nossos valores abrangem a articulação entre a espiritualidade não-religiosa e os conhecimentos sobre os fenônemos da materialidade terrena – em outras palavras, a articulação entre espiritualidade e ciência.

Com uma equipe de terapeutas de Regressão de Memória Lumni e sob os cuidados da mentora e criadora Carmem Farage, trabalhamos com o propósito de permitir um salto evolutivo do ser humano dos novos tempos por meio de atendimento terapêutico e de formação de terapeutas.

“Nossa missão é servir de suporte à evolução do ser.”
                                                           Carmem Farage

CARMEM FARAGE

Criadora da Terapia Lumni e Fundadora do Instituto Lumni.

Com mais de 30 anos de prática terapêutica, Carmem é psicanalista, especialista em regressão de memória, acupunturista, mestra de Reiki Usui Tibetano.

Estudiosa da filosofia da física quântica e de apometria, realiza seus trabalhos mediunicamente sob a mentoria espiritual de Teilhard de Chardin.

É mentora da equipe de terapeutas de regressão de memória Lumni e da formação de novos terapeutas.
Dá sequência a seus estudos unindo filosofia, ciência e espiritualidade sob uma perspectiva transformadora e otimista para o destino da humanidade.

O mestre:

Teilhard de Chardin

"Não somos seres humanos vivendo uma experiência espiritual;
somos seres espirituais vivendo uma experiência humana."

Mentor espiritual da Terapeuta Carmem Farage, criadora do Instituto Lumni. Nascido na França, Chardin foi um padre jesuíta, teólogo, filósofo e paleontólogo. Durante sua trajetória tentou construir uma visão integradora entre ciência e teologia, e foi rejeitado por ambas as partes.